CLIQUE NO PLAY PARA OUVIR RÁDIO INDEPENDENTE FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

sábado, 1 de fevereiro de 2020

Bolsonaro só vai evacuar brasileiros da China com garantia de quarentena no Brasil

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (31) que o governo só vai evacuar brasileiros que estão no epicentro do surto de coronavírus na China depois que forem tomadas as providências que garantam a proteção da população no Brasil, entre elas a garantia de que os cidadãos retornados passarão por uma quarentena.
Além de questões orçamentárias que segundo o presidente dificultam a busca de brasileiros na província de Hubei, Bolsonaro citou a ausência de uma lei nacional que permita colocar essas pessoas em quarentena quando regressadas ao país.

"Se não tiver redondinho no Brasil não vamos buscar ninguém. A intenção do presidente não vai buscar ninguém. Quem quer vir para cá tem que se submeter aos trâmites de proteção dos 210 milhões que estão aqui", declarou Bolsonaro, após presidir uma reunião com os ministros da Defesa (Fernando Azevedo), Saúde (Luiz Henrique Mandetta) e Relações Exteriores (Ernesto Araújo), além de outros auxiliares palacianos e militares.

O Itamaraty estima que aproximadamente 50 brasileiros estão na zona de quarentena chinesa na província de Hubei, onde está localizada a cidade de Wuhan. No Brasil, já são 12 os casos de suspeita de coronavírus.

Outros países, entre eles Estados Unidos (EUA) e Japão, já realizaram voos para retirar seus cidadãos da região mais crítica de ação da doença.

Um dos pontos mais ressaltados por Bolsonaro nesta sexta foi o fato de o Brasil não contar com uma lei de quarentena. Segundo ele, mesmo que o governo coloque as pessoas retiradas da China em isolamento, um questionamento judicial poderia determinar o fim da quarentena, o que contribuiria para a entrada do vírus no país.

"Se lá [China] temos algumas dezenas de vida, aqui temos 210 milhões de brasileiros", declarou Bolsonaro, que disse ainda que a quarentena ocorreria numa base militar longe dos grandes centros.

"Tem que fazer um exame prévio lá [China]. Quem tiver qualquer possibilidade de apresentar o sintoma não embarcaria. E chegando aqui, pela ausência da lei da quarentena, nós temos que discutir com o Parlamento. Nós vamos decretar a quarentena com toda certeza numa base militar longe de grandes centros populacionais, para que a gente não cause pânico e transtorno junto à população brasileira", acrescentou.

Questionado se o governo poderia criar a instituição da quarentena por Medida Provisória, o presidente indicou que o tema precisaria ser antes discutido com o Congresso e com o Poder Judiciário, para evitar que questionamentos futuros revertam a medida.

Os EUA estabeleceram que seus cidadãos retornados da zona mais afetada na China precisarão passar por um período de observação em isolamento.

O presidente brasileiro também apontou questões orçamentárias que dificultariam a evacuação.

Questionado quando o Brasil tomará a decisão pelo resgate ou não dos cidadãos do país, respondeu: "Se você me arranjar recursos e meios a gente começa a providenciar a partir de agora. Um voo deste custa caro,  se for fretar um voo é acima de de US$ 500 mil. Pode ser pequeno para o tamanho do orçamento brasileiro, mas depende do Parlamento", disse.

O número de mortos na China pelo surto de coronavírus chegou a 213 no balanço mais recente, e o número de casos confirmados já é de quase 10.000 em todo o mundo.

O chanceler Ernesto Araújo disse ainda que qualquer operação de evacuação precisa antes ser solicitada à China, uma vez que as regiões mais afetadas pelo coronavírus estão fechadas.

Já o ministro Mandetta, da Saúde, disse que o governo seguirá os protocolos e declarará situação de emergência caso haja algum caso confirmado de coronavírus no Brasil --o que até o momento não aconteceu.

Por Ricardo Della Coletta | Folhapress

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.