CLIQUE NO PLAY PARA OUVIR RÁDIO INDEPENDENTE FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Após fazer acusações, Moro apresenta provas contra Bolsonaro em edição do JN

O ex-juiz Sergio Moro apresentou, durante a edição do Jornal Nacional desta sexta-feira (24) provas das acusações feitas ao presidente Jair Bolsonaro durante coletiva realizada nesta manhã, quando oficializou seu pedido de demissão do Ministério da Justiça e Segurança Pública.
Moro acusou o presidente, entre outras coisas, de tentar interferir politicamente nas investigações da Polícia Federal, além de insistir na troca do diretor-geral, sem motivo aparente. de acordo com Moro, Bolsonaro queria alguém com quem pudesse colher informações e ter acesso a relatórios.

Prefeitura de Tanquinho divulga Boletim informativo de prevenção ao COVID-19 atualizado às 16h30m de hoje (24/04)

A Prefeitura Municipal de Tanquinho através da Secretaria Municipal de Saúde e a Vigilância Epidemiológica, informam que a Cidade CONTINUA SEM REGISTROS DE CORONAVÍRUS.
É muito importante que continuem o isolamento social e adotando todas as medidas de prevenção de acordo o ministério da saúde, governo do estado e município, para que a Cidade continue sem registro de casos.

Celso de Mello é sorteado relator do pedido de inquérito sobre discurso de Moro

O ministro Celso de Mello, o mais antigo integrante do Supremo Tribunal Federal (STF), foi sorteado nesta sexta-feira (24) para ser relator do pedido de inquérito feito pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, para apurar o conteúdo do discurso de despedida de Sérgio Moro do governo.
Aras quer que seja investigado se o presidente Jair Bolsonaro cometeu crime por ter tentado interferir nas atividades da Polícia Federal, como disse Moro. E, também, se o ex-ministro da Justiça disse a verdade no discurso, segundo o Globo.

Com 3 novos pacientes com coronavírus, Feira chega a 73 casos da doença

Dois homens e uma mulher tiveram diagnóstico positivo para Covid-19 em Feira de Santana, nesta sexta (24). Somando-se aos casos anteriormente confirmados pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, agora são 73 casos registrados. Nenhum dos três mais recentes portadores do vírus necessita de atendimento hospitalar e encontram-se em isolamento domiciliar.
Um dos homens que tiveram confirmação nos exames, para a doença, tem 40 anos de idade e o outro, 39. A mulher tem 37 anos. Pela idade, não se encontram em faixa de risco. Não há informações quanto a comorbidades e a forma de transmissão. Outro dado desta sexta-feira é referente a exames cujo resultado deu negativo para 11 pessoas testadas.

Maia convoca reunião para avaliar acusações de Moro contra Bolsonaro

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), convocou parlamentares para uma reunião informal na residência oficial para avaliar a gravidade das denúncias feitas ex-ministro da Justiça a respeito do presidente Jair Bolsoanaro. As informações são do UOL.
Foto: Reprodução
Os deputados que participarão do encontro julgam que as denúncias do ex-ministro da Justiça, apresentadas no pedido de demissão nesta sexta-feira, 24, são graves e precisam ser investigadas para determinar se há crime de responsabilidade para um pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

Saída do ex-ministro Sérgio Moro causa revolta, e Senado cogita impeachment

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, pediu demissão do cargo, deixando o governo do presidente Jair Bolsonaro após quase 16 meses à frente da pasta. Ao anunciar sua decisão, Moro lamentou ter que reunir jornalistas e servidores do órgão em meio à pandemia do novo coronavírus para anunciar sua saída, mas esta foi “inevitável e não por opção minha”.
Foto: Reprodução
Em um pronunciamento de 38 minutos, Moro afirmou que pesou para sua decisão o fato de o governo federal ter decidido exonerar o diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Valeixo. O decreto de exoneração foi publicado nesta sexta, 24, no Diário Oficial da União. É assinado eletronicamente pelo presidente Jair Bolsonaro e por Moro, e informa que o próprio Valeixo pediu para deixar o comando da corporação.

Augusto Aras pede inquérito para investigar declarações de Sergio Moro

O procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a instauração de um inquérito para apuração de supostos fatos noticiados em pronunciamento do ora Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, realizado nesta manhã (24). Ao oficializar o pedido de demissão, Moro fez uma série de denúncias contra a conduta do presidente da República em relação à PF, entre elas, uma tentativa de intervir nas investigações.
No documento, Aras diz que "a dimensão dos episódios narrados, especialmente os trechos destacados, revela a declaração de Ministro de Estado de atos que revelariam a prática de ilícitos, imputando a sua prática ao Presidente da República o que, de outra sorte, poderia caracterizar igualmente o crime de denunciação caluniosa". A petição afirma ainda que, os fatos narrados vislumbram tipificação de delitos como falsidade ideológica, coação no curso do processo, advocacia administrativa, prevaricação, obstrução da Justiça, corrupção passiva privilegiadas, além de crimes contra a honra.

Bolsonaro diz que Moro condicionou substituição de Valeixo à indicação para STF

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que o ministro Sergio Moro condicionou a saída do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, à indicação do nome dele para o Supremo Tribunal Federal (STF). A informação foi revelada por Bolsonaro nesta sexta-feira (24) durante coletiva no Palácio do Planalto com todos os demais ministros do governo.
Segundo Bolsonaro, Valeixo havia afirmado para subordinados que estava cansado do cargo e já tinha intenção de sair, e por isso chamou Sergio Moro para debater o tema e a substituição do chefe da PF.

Bolsonaro nega interferência na PF e critica Moro por 'compromisso com próprio ego'

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) questionou se pedir celeridade em investigações de casos em que ele era citado ou até vítima seria uma forma de interferir na Polícia Federal. A afirmação foi feita em entrevista coletiva nesta sexta-feira (24), no Palácio do Planalto, após discurso de demissão de Sergio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Na fala do agora ex-ministro, o presidente foi citado por buscar informações de inquéritos sigilosos da PF.
Ele questionou: “será que é interferir na PF pedir pra investigar esse porteiro?”. “Será que é muito implorar ao senhor Sérgio Moro mande investigar quem mandou me matar”, indagou.

Bahia registra 134 novos casos do coronavírus nas últimas 24 horas; total já chega a 1.979 até às 17hs de hoje (24/04)

A Bahia registrou 134 novos casos do coronavírus (Covid-19) nas últimas 24 horas e chega ao total de 1.979 casos confirmados da doença no estado, o que representa 17,9% do total de casos notificados, de acordo com a SESAB. 
Divulgação
Considerando o número de 452 pacientes recuperados e 67 óbitos, 1.460 pessoas permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19, o que são chamados de casos ativos.

Coronavírus: Brasil registra 52.995 casos e 3.670 mortes

Dos 52.995 casos diagnosticados, 27.655 pessoas são consideradas recuperadas e outras 21.670 estão em acompanhamento. Informações foram atualizadas até as 14h desta sexta-feira (24)
O Ministério da Saúde registrou 52.995 casos de coronavírus no Brasil e 3.670 mortes até as 14h desta sexta-feira (24), segundo informações repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde. Nas últimas 24 horas, foram registrados 3.503 novos casos e 357 novos óbitos. Até agora, do total de casos confirmados, 27.655 pessoas são consideradas recuperadas, correspondendo a 52% dos casos diagnosticados e outras 21.670 permanecem em acompanhamento.

Ministros do STF enxergam crimes de Bolsonaro em discurso de Sérgio Moro

Os ministros do Superior Tribunal Federal (STF) enxergaram diversos crimes do presidente Jair Bolsonaro nas declarações do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro nesta sexta-feira (24). A informação é da coluna da jornalista Mônica Bergamo.
De acordo com Moro, o presidente queria ter acesso a relatórios de inteligência da Polícia Federal, o que significa advocacia administrativa. Com isso, ele pode ser enquadrado no artigo 321 do Código Penal, que prevê até três meses de prisão para quem "patrocinar, direta ou indiretamente, interesse privado perante a administração pública, valendo-se da qualidade de funcionário".

'As declarações de Moro são uma delação premiada contra Bolsonaro', afirma Rui Costa

O governador Rui Costa (PT) lamentou nesta sexta-feira (24) a saída do segundo ministro do governo Jair Bolsonaro (sem partido) durante a crise do coronavírus em menos de uma semana. “Primeiro o ministro da saúde e agora o ministro da Justiça”, disse Rui sem citar o nome do ex-juiz Sergio Moro, que anunciou saída em coletiva nesta manhã (veja aqui). 
“O país deveria estar focado no combate a Covid-19. As declarações do ministro são praticamente uma delação premiada. O ministro saiu afirmando que o presidente da República quer colocar no comando da PF, uma pessoa que ele possa ligar e pegar dados de investigações. Isso é uma confissão de que o presidente pretende cometer crimes de responsabilidade”, argumentou Rui durante Papo Correria.

12% dos casos da Covid-19 na Bahia são de profissionais da saúde; Rui fala de descuidos

O governo do estado ordenou a testagem de todos os profissionais de saúde do Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus, e do Hospital Base, de Itabuna, após o aumento de casos da contaminação de profissionais de saúde com o novo coronavírus. A região sul do estado é um dos novos focos da doença.
Durante Papo Correria desta sexta-feira (24), Rui declarou que 12% dos casos da Covid-19 de toda a Bahia são de profissionais de saúde e que a contaminação entre médicos e funcionários pode ter acontecido por descuido dos trabalhadores no horário de descanso.

Moro confirma saída do governo Bolsonaro em pronunciamento: 'Interferência política'

Em pronunciamento realizado na manhã desta sexta-feira (24), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, confirmou a sua saída do governo federal. A entrega do cargo acontece após a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. Durante o pronunciamento, Moro citou "inteferência política" na exoneração.
O Diário Oficial da União (DOU) de hoje trouxe a exoneração de Maurício Valeixo do posto de diretor-geral do órgão (veja aqui), contrariando Moro, que avisou que se demitiria se isso fosse feito. Pelo menos até a noite de quinta (23), outros ministros tentavam negociar a permanência do ex-juiz no governo, mas a demissão do comandante da PF antes da conclusão das tratativas pode ter atrapalhado a reversão. 

Dólar bate R$ 5,58 e renova recorde histórico

O dólar opera novamente em alta nesta sexta-feira (24), renovando máximas históricas de cotação nominal (sem considerar a inflação), com a tensão política em torno da exoneração do diretor-geral da Polícia Federal e expectativa do anúncio de saída do ministro da Justiça, Sérgio Moro, do governo. 
Às 9h23, a moeda norte-americana era vendida a R$ 5,5562, em alta de 0,50%. Na máxima até o momento chegou a R$ 5,5822 – novo recorde intradia. Na véspera, o dólar encerrou o dia em alta de 2,21%, a R$ 5,5285, novo recorde nominal de fechamento. Na máxima do dia durante os negócios, chegou R$ 5,5300. 

Gráfico mostra redução da taxa de transmissão diária de Covid-19 na Bahia

A Bahia registrou uma redução drástica da taxa de transmissão diária de Covid-19, segundo dados apresentados pelo secretário de Saúde do estado, Fábio Vilas-Boas, nesta sexta-feira (24).
A taxa de contágio diário, que estava em 40% no dia 16 de março, agora é de 9%, um índice animador, mas ainda considerado alto pelo governo do estado. 

Bolsonaro destaca ponto de exoneração de Maurício Valeixo: 'A pedido'

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), utilizou o Twitter na manhã desta sexta-feira (24) para se posicionar a respeito da exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. Na publicação, Bolsonaro destacou que a demissão ocorreu "a pedido".
Considerado braço direito do ministro da Justiça Sérgio Moro, Maurício Valeixo assumiu o cargo em novembro de 2018, antes mesmo de Bolsonaro assumir posse como presidente. Ele foi escolhido por Moro.

Bolsonaro terá vida difícil se quebrar tradição da PF ao indicar novo diretor, diz coluna

O presidente Jair Bolsonaro pode ter a vida dificultada se quebrar uma tradição de décadas da Polícia Federal na hora de indicar o substituto de Maurício Valeixo no comando da corporação.
Segundo o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, são os policiais federais, geralmente, superintendentes regionais, que indicam uma série de nomes para o presidente escolher um à função de diretor-geral da PF. Se Bolsonaro quebrar essa tradição e impor um nome aos policiais, a corporação deve rejeitar com vigor.

Bolsonaro quer diretor da Abin para substituir Valeixo na PF

Com Maurício Valeixo fora do comando da Polícia Federal (PF), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) quer nomear o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, para o cargo de diretor-geral do órgão.
A informação é do Blog da Andreia Sadi, no G1. A publicação lembra que Ramagem foi o chefe da equipe de segurança do presidente no período de campanha eleitoral em 2018.

Bolsonaro exonera diretor-geral da PF, Maurício Valeixo

Maurício Leite Valeixo não é mais diretor-geral da Polícia Federal (PF). A exoneração foi publicada nesta sexta-feira (24) no Diário Oficial da União (DOU) e assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro.
No Diário Oficial, a justificativa para exoneração é de que foi um pedido do próprio Maurício Valeixo. Mas, na quinta (23), se repercutiu a notícia de que a troca no comando do órgão era um desejo do presidente, que quer ter um nome alinhado a ele à frente da PF. Vale ressaltar ainda que a assinatura de Moro no ato é protocolar e não representa, necessariamente, a anuência dele.

Deputados aprovam texto-base de proposta que suspende dívidas com o Fies durante pandemia

A Câmara dos Deputados aprovou a suspensão das dívidas de estudantes com o Fies durante o estado de calamidade pública provocado pelo novo coronavírus, nesta quinta-feira (23). Alunos de todo o Brasil com parcelas atrasadas por, no máximo, 6 meses do seu vencimento podem ser beneficiados.
O texto, que ainda precisa da aprovação dos senadores, prevê que esses estudantes vão poder quitar os débitos com o Fies em 175 parcelas, com a redução de multas e juros, segundo a Agência Brasil.

Família procura por jovem desaparecido em Feira de Santana

Quem tiver informações sobre Victor Bastos de Oliveira pode entrar em contato com os familiares através dos telefones (75) 9 8188-4084 ou (75) 9 8219-7446. 
Familiares e amigos estão à procura de Victor Bastos de Oliveira, de 19 anos, morador do bairro Sobradinho em Feira de Santana, que desapareceu na noite de terça-feira (21).

Bahia registra 9 óbitos por Covid-19 em 24 horas; estado tem 1.845 casos

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) infirmou, nesta quinta-feira (23), que nove mortes por covid-19 foram registradas em 24 horas no estado. O total de óbitos até agora subiu para 62. Ainda segundo a Sesab a Bahia já registra 1.845 casos confirmados do novo coronavírus, o que representa 16,9% do total de casos notificados no estado.
Os casos confirmados ocorreram em 108 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (61,3%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 1.000.000 habitantes foram Ilhéus (782,37), Uruçuca (682,29), Barra do Rocha (525,03), Itapebi (487,38) e Itabuna (464,30).

Auxílio emergencial: cadastros de 7 a 10 de abril podem ser revistos

Quem se cadastrou entre os dias 7 e 10 de abril e até agora não foi confirmado como elegível para receber auxílio emergencial pode retornar ao aplicativo da Caixa Econômia Federal e revisar o cadastro. De acordo com o Ministério da Cidadania, o aplicativo Caixa | Auxílio Emergencial foi atualizado e ficou mais simples de ser usado.
"O objetivo é facilitar novos cadastramentos e, principalmente, a revisão dos cadastros já realizados, que, por diversas razões, não tiveram a sua elegibilidade confirmada. Os cadastrados entre 7 e 10 de abril que até o presente momento não foram confirmados como elegíveis podem retornar ao aplicativo e revisar seu cadastro", informou a pasta nesta quinta-feira (23), por meio de nota.