Ouça a nossa Rádio Independente FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Ichu: Grupo de Mulheres do Bairro Cortiço discute sobre autoestima e Outubro Rosa

Aconteceu na última quarta-feira 25 de de outubro, na sede da Associação de Moradores do Bairro Cortiço, mais um Encontro do Grupo de Mulheres.
Desta feita, foram discutidas duas temáticas importantes: a autoestima e Outubro Rosa: O emocional X Câncer de mama.

Autoestima é a qualidade que pertence ao indivíduo satisfeito com a sua identidade, ou seja, uma pessoa dotada de confiança e que valoriza a si mesmo. Dessa forma, no Grupo de Mulheres do Cortiço, o foco é sempre a valorização da MULHER pelo que ela é, não como os outros devem pensar que são. A ideia é gostar de si mesmo antes de tudo.
No âmbito da psicologia, a autoestima consiste numa avaliação subjetiva que determinado indivíduo faz de si próprio. Neste caso, características como a dignidade, o respeito e a confiança são presentes na personalidade dessa pessoa.
 
Sobre o Outubro Rosa, foi destacado a importância das mulheres cuidarem da saúde, prevenindo o Câncer de mama, campanha realizada todos os anos durante o mês atual. 
 
O Emocional x Cancêr de Mama
Sabe-se hoje que o câncer de mama é o tumor maligno que mais causa morte na população feminina. Sua causa ainda é desconhecida, mas atrela-se a fatores como idade, história familiar, efeitos hormonais entre outros.
 
Muitas das vezes, a doença é notada pelo aparecimento de um nódulo indolor através do autoexame da mulher ou até mesmo pelo exame médico.
 
Porém a mamografia é ainda o método inquestionável e fundamental para o diagnostico precoce, e consequentemente para a descoberta do câncer de mama. Quanto antes houver a descoberta do tumor, maiores serão as chances de sucesso do tratamento.
 
O ajustamento à circunstância de ter (ou ter tido) um câncer de mama é um processo que demanda elaboração de todos os sentimentos desencadeados pela doença. Sabe-se que cerca de 50% a 70% das mulheres terão reações emocionais negativas à situação; tais reações negativas podem contribuir para que o tratamento não seja seguido corretamente, o que aumenta o risco de recidiva.
 
O apoio psicoterápico é importante para auxiliar no longo processo de elaboração da doença, na busca de estratégias positivas de enfrentamento. Muitas vezes, é necessário também o uso de medicamentos, se o quadro de depressão e/ou de ansiedade forem intensos, comprometendo a vida da mulher.

O Grupo de Mulheres do Bairro Cortiço conta com o apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social, CRAS - (com o apoio da Psiscóloga Ayara Carneiro e da Assistente Social Damares Oliveira)  e dos Agentes Comunitários de Saúde.
Matéria Extraída do Blog do Social - Texto adaptado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.