Ouça a nossa Rádio Independente FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Arco Sertão Central, uma Rede de Oportunidades

A Rede Central de Cooperativas de Comercialização da Agricultura Familiar e Economia Solidária Arco Sertão – Arco Sertão Central,  gestora do Armazém da Agricultura Familiar e Economia Solidária, apoia a comercialização em REDE , dentro de uma proposta pioneira e inovadora que dá competitividade, maturidade e dinamização aos empreendimentos da agricultura familiar e economia solidária.  
Com abrangência nacional, é um preposto estadual das 57 cooperativas e associações filiadas nos vários cantos da Bahia, frente às Prefeituras e Escolas Públicas Estaduais para as vendas em atacado pelo Programa Nacional da Alimentação Escolar (PNAE), e à varejo,  aos visitantes e turistas no “show room”, que funciona de forma permanente à margem da BR 116, Sitio Alagoinhas, no município de  Serrinha.   

Um leque de produtos dos Empreendimentos Solidários filiados de diversas regiões vem sendo comercializados: Hortifrutigranjeiros, derivados do leite, mandioca, de frutas, derivado do milho, amêndoas, cereais e mel. São também encontrados os artesanatos em tecido, fibra, cipó, palha, barro e couro.  

As vendas institucionais, tem sido o principal mercado a ARCO Sertão Central. Ocupando esses espaços, a ARCO garante aos seus cooperados, um campo aberto com valores significativos para a comercialização dos produtos das Cooperativas filiadas.  

Neste primeiro semestre do ano de 2017, foram várias as buscas nos mercados institucionais PNAE municipal com cinco contratos firmados  com as Prefeituras (Salvador, Feira de Santana, Ichu, Serrinha e Nova Fátima) e um contrato com a Universidade Federal do recôncavo Baiano. E pelo PNAE Estadual foram mais de 40 escolas que vem atendendo na oferta de produtos da Agricultura Familiar nos Territórios do Portal do Sertão, Sisal, Bacia do Jacuípe e Nordeste II. Também, a Arco Sertão Central marcou presença em várias feiras e eventos da Agricultura Familiar e Economia Solidária, no estado da Bahia e pelo Brasil. Totalizando até o mês de agosto, o valor de R$ 1.005.485,86 (Hum milhão e cinco mil, quatrocentos e oitenta e cinco reais, oitenta e seis centavos) que prova que a Arco tem atingido a sua missão: Comercializar produtos e prestar serviços, contribuindo para fortalecimento das cooperativas e do desenvolvimento sustentável.  

A ARCO Sertão central, conta com o apoio do  Centro Público de Economia Solidária – CESOL, que tem sido um parceiro na assistência técnica gerencial, socioprodutiva e comercial dos grupos envolvidos na REDE. Em março deste ano, o CESOL Portal do Sertão promoveu a feira de comercialização, palestras, debates, rodada de negócios e trocas solidárias. Durante os eventos envolvendo mais de 400 pessoas dos empreendimentos econômicos solidários assessorados pela CESOL Portal do Sertão e parceiros como Movimento de Organização Comunitária, Unicafes Bahia, Fundação APAEB, FATRES, ARESOL entre outros.  

A Arco Sertão Central vem abrindo muitas possibilidades para os empreendimentos filiados no campo da formação e comercialização. Esta experiência vem garantindo que os produtos da Agricultura Familiar e da Economia Solidária, antes até rejeitados, ganhassem apresentações mais convidativas e de qualidade e que os produtos se qualificassem e adentrassem em mercados institucionais e convencional. Trata-se, assim, de uma rede que promove a qualificação dos produtos, a comercialização e o desenvolvimento Econômico Sustentável.  

Esses, resultados comprovam o sucesso do modelo, visitado à miúde por Universidades Federais, Estaduais e por Secretarias de Governos.

O governo da Bahia através das Secretarias de Desenvolvimento Rural (SDR) e do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE) vem apoiando na dinamização e articulação dos empreendimentos em Rede em outros territórios e sinaliza a implantação de mais armazéns. Isso leva a crer que esse é um  caminho para o desenvolvimento sustentável, a geração de trabalho e renda e a oferta para a população de alimentos saudáveis, tornado um Bahia mais produtiva e  fortalecendo a Agricultura Familiar e Economia Solidária.

Fonte: MOC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.