CLIQUE NO PLAY PARA OUVIR RÁDIO INDEPENDENTE FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

terça-feira, 16 de abril de 2019

Vitória se manifesta após não renovação com o zagueiro Carlos

Por meio de nota, o Vitória se manifestou sobre a polêmica em torno do zagueiro Carlos, que não renovou o contrato e se transferiu para o Jacuipense (veja aqui). De acordo com o clube rubro-negro, os empresários do atleta colocaram empecilhos nas negociações.
“As negociações para renovação do contrato do atleta Carlos Eduardo estavam se desenvolvendo desde o ano passado, fundamentadas nas boas relações históricas dos seus empresários e o Esporte Clube Vitória. No entanto, mesmo sem documentos comprobatórios, tais empresários sempre reivindicaram, ao longo das negociações, que o clube reconhecesse os direitos econômicos dos mesmos sobre vários atletas atualmente com vínculos contratuais com o clube (...) As negociações se estenderam para o presente ano na confiança de que as partes envolvidas encontrassem um caminho de resolução desses problemas, no entanto, a Instituição foi surpreendida quando a renovação do contrato do atleta Carlos Eduardo foi definitivamente vinculada à aceitação da cessão dos direitos econômicos de vários outros atletas, vinculação esta, completamente descabida, face à independência das matérias”, diz parte do comunicado.

Em outro trecho, o Vitória explicou o motivo de não ter protocolado na Federação Bahiana de Futebol (FBF) o direito de preferência no primeiro contrato profissional de Carlos previsto pela Lei Pelé.

“No final do ano passado, o atleta Carlos Eduardo sofreu uma grave lesão, obrigando-o a uma cirurgia no joelho que exige um longo período de tratamento e recuperação para assegurar ao mesmo a plena reabilitação e as condições fisiológicas necessárias para o exercício pleno das suas atividades profissionais. Apesar de termos tido o direito de entrar na Federação Bahiana de Futebol com o exercício de prioridade de renovação, como outrora fizemos com o atleta Gabriel Souza, não o fizemos, primeiro por não termos a segurança de que o atleta, após o período de recuperação, voltaria a desempenhar as suas atividades com a mesma performance e por outra, por confiar no bom senso de seus empresários de que o atleta precisaria concluir o seu tratamento com a equipe médica do Esporte Clube Vitória que detém o controle absoluto do seu processo de recuperação e, por isso, necessitaria renovar seu contrato, visto que o seu tratamento se estenderá por no mínimo mais três meses”.

Carlos tem 20 anos e está no Vitória desde 2012. Ele acumula passagens pela Seleção Brasileira Sub-17 e Sub-20.

CONFIRA O COMUNICADO NA ÍNTEGRA
Pautado em um princípio de transparência e responsabilidade, o Esporte Clube Vitória encaminhou ao Conselho Fiscal da entidade o pleito, no sentido de que, após aberto um procedimento administrativo interno, pudesse este Conselho Fiscal se manifestar sobre o tema, após realizar as devidas apurações dos fatos.

Cabe ressaltar que este problema vem atravessando diversas gestões devido à sua complexidade e não poderia ser resolvido sem que uma apurada investigação fosse realizada, como encaminhada pela atual gestão do Esporte Clube Vitória.

As negociações se estenderam para o presente ano na confiança de que as partes envolvidas encontrassem um caminho de resolução desses problemas, no entanto, a Instituição foi surpreendida quando a renovação do contrato do atleta Carlos Eduardo foi definitivamente vinculada à aceitação da cessão dos direitos econômicos de vários outros atletas, vinculação esta, completamente descabida, face à independência das matérias.

No final do ano passado, o atleta Carlos Eduardo sofreu uma grave lesão, obrigando-o a uma cirurgia no joelho que exige um longo período de tratamento e recuperação para assegurar ao mesmo a plena reabilitação e as condições fisiológicas necessárias para o exercício pleno das suas atividades profissionais.

Apesar de termos tido o direito de entrar na Federação Bahiana de Futebol com o exercício de prioridade de renovação, como outrora fizemos com o atleta Gabriel Souza, não o fizemos, primeiro por não termos a segurança de que o atleta, após o período de recuperação, voltaria a desempenhar as suas atividades com a mesma performance e por outra, por confiar no bom senso de seus empresários de que o atleta precisaria concluir o seu tratamento com a equipe médica do Esporte Clube Vitória que detém o controle absoluto do seu processo de recuperação e, por isso, necessitaria renovar seu contrato, visto que o seu tratamento se estenderá por no mínimo mais três meses.

O Esporte Clube Vitória apresentou uma proposta de renovação, compatível com as atuais condições do atleta, mas, infelizmente,  seus empresários mantiveram a premissa de só renovar o contrato do atleta, se o Clube reconhecesse os direitos econômicos dos mesmos sobre vários outros atletas, tema este que se encontra em processo interno de análise e que demandará tempo e esforços para sua conclusão.

Finalmente, acreditamos que o bom senso prevalecerá e que o atleta terá o seu vínculo renovado com o Esporte Clube Vitória, e que seu tratamento será continuado com a competente equipe de médicos e fisiologistas do clube, que irá assegurar a sua completa recuperação.

Quanto à dispensa de atletas dos referidos empresários, o Esporte Clube Vitória tão somente suspendeu o período de avaliação dos mesmos até que este problema seja resolvido.

Por Glauber Guerra / Bahia Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.