Ouça a nossa Rádio Independente FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Polícia prende suspeito de praticar latrocínio em condomínio

As câmeras de segurança do condomínio mostram dois homens entrando no local a pé na terça-feira, por volta das 14h. Depois eles saem no carro da vítima, por volta das 17h.
A Equipe da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), sob o comando do delegado André Ribeiro, prendeu na noite de ontem (6) um homem acusado de praticar o crime de latrocínio (roubo seguido de morte), no Condomínio Parque Cajueiro, que vitimou Valdemiro Alexandrino Santos Neto, 57 anos. Ele foi encontrado morto na manhã de ontem dentro do apartamento onde morava. Segundo a polícia, ele foi morto com uma pedrada na tarde de terça (5), mas o corpo só foi encontrado na quarta.
Victor Cleyman Costa Pithon, 19 anos
Segundo a polícia, Victor Cleyman Costa Pithon, 19 anos, morador do condomínio Jardim das Oliveiras, Conceição I, mantinha um relacionamento homoafetivo com a vítima. Um menor, amigo pessoal de Victor, também foi conduzido para a delegacia, onde relatou durante depoimento que no último sábado (2) Victor teria tentado matar Valdemiro colocando chumbinho no almoço da vítima.

De acordo com a polícia, o menor afirmou que Victor teria tentado convencê-lo a matar Valdemiro, mas ele não aceitou. Após esse depoimento, Victor assumiu o crime e apontou como parceiro Luiz Antônio Silva Pauferro, 18 anos, morador da Rua Rosa de Sharon, Jardim Sucupira, que ainda não está preso.
Luiz Antônio Silva Pauferro, 18 anos
Ainda conforme informou a polícia, Victor confirmou que já vinha há algum tempo tentando matar a vítima e que ontem convenceu Luiz Antônio a ajudá-lo no latrocínio. Ele contou que adentraram a residência da vítima, onde de posse de uma pedra grande acertaram por diversas vezes a cabeça de Valdemiro, causando-lhe a morte.

Em seguida, eles fugiram subtraindo a quantia de R$ 2.600,00 (dois mil e seiscentos reais, recuperados com Victor), o veículo Hyundai HB20, de placa OUR 3104, (veículo já recuperado no distrito de Maria Quitéria) e alguns perfumes (recuperados na residência de Luiz Antônio).
As câmeras de segurança do condomínio mostram dois homens entrando no local a pé na terça-feira, por volta das 14h. Depois eles saem no carro da vítima, por volta das 17h.
Ao Acorda Cidade, Victor confirmou que mantinha um relacionamento com vítima e disse que foi estuprado por ele. Esse, segundo o acusado, foi o que motivou o crime. Ele afirmou que ficou com muita raiva do que aconteceu e resolveu matar Valdemiro com a ajuda de um amigo.

“Eu falei que ia convidar um amigo que era gay também e ele aceitou que o cara entrasse. Eu tive a ideia do crime depois que ele me estuprou. Eu era ativo e ele abusou de mim. Eu estava drogado, deitado na cama somente de cueca, quando ele me estuprou”, relatou.

De acordo com o delgado André Ribeiro, a polícia analisou as câmeras do circuito interno do condomínio da vítima e percebeu a presença de dois elementos. A família também procurou a polícia e informou sobre esse relacionamento amoroso.

“Victor foi contraditório no depoimento. Disse que já tinha visto que a vítima tinha dinheiro e estava tramando o crime, então não acredito na versão do estupro. Os suspeitos chegaram no condomínio e a vítima não estava em casa. Quando Valdomiro chegou, Victor pediu que ele fizesse um hambúrguer. Quando a vítima foi até a cozinha preparar, Antônio aplicou golpes de pedra na cabeça da vítima”, disse o delegado.
Valdemiro Alexandrino Santos Neto, 57 anos
Daniela Cardoso com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.