Ouça a nossa Rádio Independente FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

terça-feira, 9 de maio de 2017

Acusado de atrair mulheres em redes sociais para estuprá-las é preso em Feira de Santana

Além de marcar ''encontros amorosos'', ele também oferecia emprego como modelo para atrair as vítimas.
Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade
Um homem acusado de praticar vários estupros em Feira de Santana, desde quando ainda era menor de 18 anos, teve a prisão temporária - de 30 dias - decretada pelo Juiz Vicente Reis Santana Filho, da 3ª Vara Criminal de Feira de Santana.

Ele foi preso por policiais militares à paisana na tarde de ontem (8), depois que uma vítima denunciou que estava sendo forçada a encontrar-se com ele sob ameaça de ter uma foto íntima postada em rede social. Por ordem judicial, o nome e a imagem dele não podem ser divulgados.
De acordo com a delegada Maria Clécia Vasconcelos, titular da Delegacia de Atendimento a Mulher (Deam), desde 2013 já havia denúncias de estupro contra o acusado, que inclusive foi apreendido, já que era menor na época, e reconhecido por uma das vítimas. Com o passar dos anos ele mudou a forma de abordagem às vítimas, usando a internet para praticar o crime.

“Ele usava as redes sociais, os sites de relacionamentos, marcava encontros e obrigava a mulher a ter relações sexuais com ele, além de ainda roubar dinheiro e celular da vítima. Ele marcava outros encontros com a mesma vítima sob argumento de que se não fosse iria divulgar as imagens, que supostamente teria, nas redes sociais, e essas vítimas eram estupradas novamente”, informou a delegada.

Além de marcar ''encontros amorosos'', ele também oferecia emprego como modelo para atrair as vítimas.

"Temos de cinco a seis inquéritos com essa mesma narrativa. Em 2015, representamos pela prisão temporária deste indivíduo, e mais uma vez em 2016, mas ele sempre escorregadio [se livrava da prisão]. A dificuldade deste tipo de delito é quando a vítima não quer procurar a polícia para não se expor, porque sabe que será pressionada, mas ontem em mais uma tentativa dele, a vítima teve uma ação proativa e ele foi preso. Ela previamente procurou a PM, que prontamente chegou ao local à paisana e ele foi autuado”, disse a delegada ao Acorda Cidade.

A vítima disse que foi procurada pelo acusado com a proposta de emprego como modelo fotográfica. O mesmo pediu que enviasse uma foto com roupa íntima para ser avaliada por um suposto fotógrafo. Em outro momento, ele alegou durante a conversa virtual que estava interessado na jovem e marcou um encontro. Diante da negativa o acusado ameaçou divulgar a fotografia da jovem na internet caso ela não se encontrasse com ele.
“Ele veio com a promessa de emprego e falou que faria 22 fotos por mil reais e pediu uma foto minha [de calcinha e sutiã]. Só que eu não aceitei fazer as fotos e ele começou a falar que sentia desejo por mim, que me queria como mulher, que era para eu morar com ele, e eu disse que queria apenas amizade. Ele ameaçou postar a foto que mostraria ao tal fotógrafo na internet. Conversei com um amigo policial e ele me deu as instruções que era para procurar a Delegacia da Mulher. Ele começou a me pressionar para eu me encontrar com ele, aí eu fui. Ele mandou eu entrar em um beco e eu sugeri ir para uma praça. Ele disse que não, porque ninguém poderia me ver com ele. Aí encontrei minha tia e a gente foi ao módulo e os policiais me orientaram a ir na frente e eles foram atrás sem farda. Quando eu cheguei lá, os policiais o prenderam”, relatou a jovem.

A delegada Clécia Vasconcelos pede que as vítimas do acusado procurem a Deam, localizada na Rua Adenil Falcão, no bairro Brasília.
 
Andrea Trindade com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.