Ouça a nossa Rádio Independente FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

A feira livre de Ichu! Por Edcarlos Almeida

A história da feira livre de Ichu começa debaixo da sombra de um pé de flamboiã que havia na praça, em frente a antiga casa do senhor Hermilino Carneiro. Era embaixo dessa árvore que os feirantes que vinham de muito longe, como por exemplo Sergipe, acampavam para vender suas mercadorias. Na época eles eram chamados de tropeiros porque vinham em tropas de burros trazendo nos caçuás produtos para serem comercializados. Vendiam ali peças de porcelanas, panelas de barro, artesanatos como bichinhos de barro que as pessoas compravam para enfeitar lapinhas (como é mais conhecido o presépio natalino na região). 

Com o tempo surgiu a necessidade de um local que servisse de apoio para acolher os feirantes, construindo assim, o mercado que hoje chamamos de Barracão Municipal. Segundo Odorico Lucilio Carneiro ( figura histórica) , o barracão foi iniciado no ano de 1932. O mercado passou então a funcionar como espaço para a feira livre que acontecia nas segundas-feiras e era muito movimentada. Na feira, eram comercializados sapatos, artesanatos e muitas outras variedades de mercadorias. Também eram vendidos bolinhos feitos em latas de sardinhas, cafés, mingaus, que eram comprados pelos feirantes e pelas pessoas que vinham fazer suas compras. Havia um açougue interligado ao Barracão onde as pessoas podiam comprar carne. Com o crescimento da população o barracão ficou pequeno para acomodar todos os feirantes, por conta disso em 1986 na gestão do prefeito Dorivaldo Ferreira da Silva foi constituído o Centro de abastecimento para acomodar e dar mais espaços aos feirantes. Na primeira gestão do prefeito Carlos Santiago de Almeida ( 1992-1995) foi também construído um novo Centro de abastecimento para melhorar a feira livre, mas só em 2011 que a feira veio para o Centro Novo como ficou conhecido, mas não sendo do agrado de muitos e depois de várias reflexões a feira livre volta ao Centro Velho onde está até os dias atuais.  

A senhora Maria de Lourdes conhecida por Dona Lurde da verdura comercializa na feira livre de Ichu a mais de 60 anos e nos conta emocionada a sua história de feirante "a feira de Ichu mim ajudou a criar meus filhos, eu sempre vendir frutas verduras e lanches, quando ainda morava no Morro Redondo , vinha com meus produtos no lombo do jumentinho para vender aqui no Ichu"  

Dona Lurde da verdura relembra também de amigos feirantes como o senhor odorico que foi açougueiro por mais de 60 anos e deixou de exercer esta função em 2013 com 97 anos. Ela lembra tambem dos amigos que já faleceram como "Zé Liveira" e "Cordeiro da Mumbuca" e também Zé de Aurélia.  

A feira livre de Ichu conta hoje com uma diversidade de produtos sendo verduras, frutas, carnes, roupas e tercidos, calçados, ferramentas de trabalhos rurais, utensílios domésticos, peças para bicicletas, derivados da mandioca, raizeiros, etc. .. 

Com o avanço tecnológico e a modernização dos povos a feira livre do município começou a perder o seu encanto. A feira não é so espaço para comprar e vender, mas também é um espaço de encontro ,de bate papo, de diversão de troca de saberes entre os compadres e amigos. É comum vermos essa cena na feira livre. Todas as segundas-feiras, acontece a feira, não importa se é feriado ou não! 

Fonte de pesquisa: Odorico Carneiro (pessoa histórica do município além de ex-açougueiro), Maria de Lurdes (figura histórica e comerciante), Edilma Carneiro de Almeida (professora licenciada em história), André Luiz (repórter).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.