CLIQUE NO PLAY PARA OUVIR RÁDIO INDEPENDENTE FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

domingo, 2 de fevereiro de 2020

Artista feirense chama a atenção com obras inovadoras sobre Feira de Santana

Feitas a partir de duas técnicas como desenhos à lápis e pinturas digitais, as artes são inspiradas em personagens, locais, lugares, títulos da cidade e elementos que fazem parte da história de Feira.
Com um olhar diferente para a “Princesa do Sertão”, o artista Igor Rodrigues decidiu inovar em obras visuais mostrando outra realidade da cidade. Através de um certo incômodo, como: “Feira Santana é uma cidade que a medida em que cresce, ironicamente, também apaga a sua própria história”, o artista criou o projeto Feiren(si).
 
“Eu nasci, cresci aqui em Feira e sempre me perguntei, o que é Feira de Santana? Quais são as coisas que representam a cidade? O que significa ser feirense, e não consegui identificar de forma muito clara. A partir desse momento, nasceu um desafio em entender melhor, e criei um projeto que falasse sobre Feira, então a partir das minhas perspectivas que trabalho nestas obras”.

Igor Rodrigues já trabalha com arte há 10 anos, mas só no mês de outubro do ano passado, decidiu expor o novo projeto sobre a cidade natal.
Foto: Gabriel Gonçalves/Acorda Cidade
“Meus trabalhos sempre foram de forma pessoal, como um hobbie, mas pensando em iniciar como profissional pensei em algo que as pessoas pudessem se identificar, o Feirense com SI, remete a si mesmo em um olhar voltado para Feira na tentativa de entender mais sobre a cidade sobre algo que conheço e ao mesmo tempo é desconhecida”.

Feitas a partir de duas técnicas como desenhos à lápis e pinturas digitais, as artes são inspiradas em personagens, locais, lugares, títulos da cidade e elementos que fazem parte da história de Feira.
Foto: Arquivo Pessoal
“A caixa d’água do Tomba foi a primeira ideia que tive sobre representatividade aqui em Feira, e virou no imaginário popular como a Torre Eifel está para Paris, e a caixa do Tomba está para Feira. Pensando na história de Feira no meio do sertão, me remeteu a caixa d’água como um reservatório de água, assim como o cacto e o processo de desenvolvimento, saindo do sertanejo para um mundo urbanizado.”
Foto: Arquivo Pessoal
“Todos os meus trabalhos com pintura digital são feitos com mulheres negras e Princesa do Sertão é um título que a cidade recebeu e que é muito difundido no imaginário popular. Feira é uma cidade grande, que tem representatividade e que precisa ser reconhecida, então foi essa a ideia de trazer a Princesa do Sertão identificando Feira de Santana como uma realeza”.

Mais obras do artista visual, Igor Rodrigues podem ser visualizadas no Instagram: @atelieigorrodrigues.
Gabriel Gonçalves / Do Acorda Cidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.