CLIQUE NO PLAY PARA OUVIR RÁDIO INDEPENDENTE FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Bolsonaro nega interferência na PF e critica Moro por 'compromisso com próprio ego'

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) questionou se pedir celeridade em investigações de casos em que ele era citado ou até vítima seria uma forma de interferir na Polícia Federal. A afirmação foi feita em entrevista coletiva nesta sexta-feira (24), no Palácio do Planalto, após discurso de demissão de Sergio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Na fala do agora ex-ministro, o presidente foi citado por buscar informações de inquéritos sigilosos da PF.
Ele questionou: “será que é interferir na PF pedir pra investigar esse porteiro?”. “Será que é muito implorar ao senhor Sérgio Moro mande investigar quem mandou me matar”, indagou.

O caso do porteiro, referência no discurso de Bolsonaro, diz respeito a uma matéria veiculada no ano passado que vinculada o nome do presidente da República a envolvidos no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) (leia mais aqui). O chefe de Estado, inclusive, falou que a tentativa de assassinato contra ele era mais fácil de resolver que o de Marielle. 

O presidente ainda fez críticas pessoais a Moro e classificou o ex-juiz da Lava Jato como como uma pessoa que “tem um compromisso consigo próprio”. “Todos nós conhecemos o juiz Sergio Moro das suas decisões na vara federal de Curitiba. A Lava Jato já existia, mas ninguém nega o seu brilhante trabalho. Eu, pessoalmente, tive o primeiro contato com o senhor Sergio Moro no dia 30 de março de 2017 no aeroporto de Brasília, onde estava parado numa lanchonete e eu fui cumprimentá-lo. Ele praticamente me ignorou”, rememorou. 

“Sabia que não seria fácil. Uma coisa é administrar uma pessoa, outra é conviver com ela. Hoje pela manhã, por coincidência, tomando café com alguns parlamentares, eu disse: 'vocês conhecerão aquela pessoa que tem um compromisso consigo próprio, com seu ego e não com o Brasil'. O que eu tenho ao meu lado, e sempre tive, foi o povo brasileiro”, acrescentou.

Bolsonaro também citou que a equipe montada por Moro no ministério era praticamente toda da época de quando ele era juiz federal em Curitiba. “A todos os ministros, inclusive ele, falei do meu poder de veto (...) Mais de 90% dois cargos que passaram pelas minhas mãos eu dei sinal verde. Assim foi também com o senhor [Maurício] Valeixo (...) a indicação foi do senhor Sergio Moro, apesar de a lei de 2014 dizer que a indicação e a nomeação para esse cargo é exclusiva do senhor presidente da República. Abri mão disso porque confiava no senhor Sergio Moro. E ele levou a sua equipe para Brasília. Todos os cargos chave são de Curitiba, inclusive a PRF. Lógico, me surpreendeu. Será que os melhores guardas da PF estavam em Curitiba? Mas vamos confiar. Vamos dar um crédito”, declarou. 

“Eu não tenho que pedir autorização a ninguém para trocar um diretor ou qualquer outro que estava na pirâmide hierárquica“, prosseguiu. 

As afirmações do presidente vieram após acusações e pedido de demissão feito pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, na manhã desta sexta (lembre aqui). De acordo com Moro, Bolsonaro quer alguém no comando da Polícia Federal que repasse informações a ele (leia aqui), e também citou a "interferência política" de Bolsonaro ao exonerar o diretor-geral da PF, Maurício Aleixo. A demissão foi confirmada nesta sexta-feira em publicação do Diário Oficial da União (DOU) e Moro ainda nega ter assinado o documento em que aparece o seu nome (veja aqui).

Por Matheus Caldas / Jade Coelho / Mari Leal / Do BN

Um comentário:

Unknown disse...

Situação complicada;vamos ser honesto e esclarecer todos os fatos cm transparência, sendo assim a verdade prevalece.
A justiça de Deus e na hora e no momento certo.

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.