Ouça a nossa Rádio Independente FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Na página Hô Sertão de Edcarlos Almeida ele fala da QUIXABA

Na série plantas da caatinga vamos falar da QUIXABA. 
Na nossa comunidade são conhecidas a QUIXABA Macho e a QUIXABA Fêmea. A Quixaba Macho é aquela que não tem "leite" na madeira, sua copa e pequena, as folhas e os frutos são mais diferenciados, não serve para cabo de ferramentas, mas é excelente para cerca, pois ela "ámago". Já a QUIXABA Fêmea ela e excelente para cabos de ferramentas principalmente cabo de enxada e cabo de rôdo para a fabricação de farinha de mandioca, os frutos são mais doces, sua madeira tem seiva, Espinhos mais rígidos e atinge uma bela estatura chegando a mais de 15 metros de altura.
Há uma crendice popular, dizendo que mulher grávida engolir um fruto da quixaba seu filho nascerá com uma pinta preta no corpo. Muitos agricultores também utilizam a terra da Quixabeira para a adubação de plantas e hortaliças por conter boa quantidade de matéria orgânica.

Conhecendo a Quixabeira:
A sombra da Quixabeira oferece uma enorme fresca e chega a ter uma temperatura de 6 graus Celsius menor que fora dela.
Quixabeira (Sideroxylon obtusifolium), também conhecida como quixaba, quixaba-preta, sapotiaba, espinheiro, coronilha, maçaranduba-da-praia ou rompe-gibão, é uma árvore de até 15 m de altura, da família das sapotáceas, nativa do Brasil, mais precisamente dos estados do Piauí e de Minas Gerais, mas também ocorre em outros estados do Nordeste brasileiro. É típica das caatingas onde ocorre em solos de textura argilo-arenosa.
A madeira é dura; a casca tem propriedades adstringentes e tonificantes; as folhas e os frutos são forrageiros, servindo de alimento para o gado na época das secas. Sua casca tem propriedades tônicas, adstringentes e antidiabéticas. Possui espinhos fortes, folhas oblongas e cartáceas, flores aromáticas e bagas roxo-escuras, doces e comestíveis. A casca tem propriedades antiinflamatórias, sendo utilizada como cicatrizante através de chás ou infusões hidroalcoólicas. Devido à sua grande utilização na medicina alternativa e ao corte indiscriminado na vegetação das caatingas nordestinas, a espécie está na condição de rara e necessita de incentivos para a sua reprodução e manutenção na flora brasileira.
vamos juntos preservar a nossa caatinga!
Fonte: Página Hô Sertão / Por Edcarlos Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.