Ouça a nossa Rádio Independente FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Teofilândia – Em greve há 17 dias, professores ocupam Prefeitura; o almoço foi na sede do executivo

Após passar o dia na prefeitura os educadores participaram da sessão na Câmara e realizarão uma assembleia extraordinária nesta quarta, para deliberar algumas ações relacionadas a greve.
Professores já estão aborrecidos com a falta de pagamento dentro da data,
agora deparam com ameaças que terão salários descontados por
não estarem em sala de aula.
Os professores da rede municipal de ensino da cidade de Teofilândia não param de lutar em busca dos seus direitos, depois de realizar passeatas pelas ruas da cidade, realizar manifestação na frente da Secretária Municipal de Educação, se reunir por várias vezes na Câmara Municipal, fechar a BR 116 que corta a cidade, nesta terça-feira, 07, optaram por ocupar a sede da Prefeitura Municipal onde dezenas de educadores almoçaram.

Os servidores da educação vêm lamentando a falta de pagamento dos salários, pois, segundo eles, já estão com crediário comprometidos e pagando altos juros, agora passam a sofrer com ameaças do gestor em descontar dos salários pelos dias parados e retirar vantagens.

De acordo com a categoria, há meses tem recebido seus vencimentos com atrasos.A somar a essa situação de não haver mais data base para pagamento, em 24 de outubro, receberam o salário referente ao mês de setembro com valores reduzidos e foram surpreendidos com a redução salarial nos vencimentos base, mais a supressão de gratificações previstas no Plano de Cargo e Salários.

Ainda de acordo com a categoria, todos os professores concursados da rede foram desqualificados em sua progressão horizontal, todos retornaram a classe A. Negando os percentuais adquiridos pelos anos de trabalho.

A professora Juliana disse ao Calila Noticias disse que o gestor está ameaçando cortar os dias que estão parados sem saber se a greve é legal ou não, pois, segundo ela ainda não foi julgado. “Ele não comparece a nenhuma reunião com a direção da APLB e a comissão formada para analise das contas, vários oficios já foram enviados, sendo que o último foi para uma reunião dia 30 de outubro, ele e a secretária de educação pediram para remarcar para o dia primeiro, assim foi feito, remarcou para a data solicitada e mais uma vez não compareceram. Ai continuamos com os protestos por causa da falta de importância e no dia de hoje (terça) os professores acamparam na prefeitura durante todo dia, esperando que ele comparecesse, mas ele passou o final de semana todo viajando e não dar nenhum tipo de satisfação. Ele mandou foi policiais ir até Prefeitura para mandar os professores desocupar o recinto, mas nenhum professor atendeu e permaneceu durante o dia”, afirmou Juliana.

Ainda segundo Juliana os educadores foram participar da sessão da Câmara na parte da noite e na manhã desta quarta participarão de uma assembleia extraordinária para deliberar algumas ações relacionadas a greve.

Redação CN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.