Ouça a nossa Rádio Independente FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

sexta-feira, 27 de abril de 2018

PM que jogou capoeira na Micareta tem família de capoeiristas e faz trabalho social envolvendo o esporte

'Eu vivo a capoeira. Estou emocionado com a repercussão', declarou.
Natural de Salvador, 34 anos de idade e quatro anos de polícia. O soldado Ueslei Carvalho, da 50ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), se destacou no meio da multidão. Pela primeira vez trabalhando na Micareta de Feira, o PM, que também é capoeirista, encantou os foliões quando entrou na roda de capoeira durante a passagem de um bloco no domingo de Micareta.
Das ruas para a internet. Vários vídeos foram gravados durante o momento em que o PM entrou na roda de capoeira e logo viralizou nas redes sociais. Até o governador da Bahia, Rui Costa, compartilhou a gravação. Diante de tanta repercussão, o Acorda Cidade foi saber como o soldado Ueslei Carvalho está analisando esse momento.

“Eu vivo a capoeira e estou emocionado. Estou achando essa repercussão muito interessante e satisfatória para nós, que somos capoeiristas, pois está dando visibilidade ao esporte. Isso também é interessante, pois mostra que a Polícia Militar não é um bicho papão, como muitos pensam. Também trabalhamos a aproximação com a comunidade, interagimos com o povo. Estou muito orgulhoso, por tudo que está acontecendo nesse momento e por estar representando a Polícia Militar e a capoeira. Estou muito feliz”, frisou.
Nascido em uma família de capoeiristas, com pai de criação mestre, mãe e esposa capoeirista, assim como os três filhos, Ueslei é professor de capoeira e participa de projetos sociais envolvendo o esporte. Ele contou ao Acorda Cidade como decidiu entrar na roda de capoeira durante a Micareta.
“Minha guarnição estava passando e eu pedi pra parar pra gente visualizar a passagem do bloco. Nesse momento alguns capoeiristas de Salvador me reconheceram e me chamaram pra jogar, eu sinalizei para o meu comandante, ele deu ok e eu joguei capoeira. O pessoal ao redor bateu palma e me parabenizou”, lembrou.

Apesar de ser sua primeira Micareta de Feira, o soldado Ueslei já trabalhou em outras festas do mesmo estilo. Ela afirma que gostou muito da folia feirense e destacou a tranquilidade nas ruas. “Foi a melhor festa de largo que trabalhei, não vi confusão e as pessoas de Feira de Santana estão de parabéns”, disse.

Bloco teve dificuldades para desfilar
O mestre Paraná, responsável pelo Bloco da Capoeira e pelo projeto Ginga Menino, falou sobre a repercussão da participação do PM.

“A energia positiva do bloco foi que fez com que o PM entrasse na roda. Quando eu vi a quantidade de gente e vi o PM jogando capoeira, foi um momento muito bom para nosso projeto Ginga Menino e levantou a passagem do bloco. Eu chorei e fiquei muito emocionado. As pessoas vibraram. Tenho o prazer de conhecer esse PM, que é um capoeirista e faz um projeto social voltado para a capoeira”, afirmou.

De acordo com o mestre Paraná, o bloco de capoeira desfila na Micareta de Feira há cinco anos. Segundo ele, este ano houve muitas dificuldades e o bloco só conseguiu sair, devido à ajuda de muitas pessoas. Ainda assim, o mestre pede apoio e diz que não conseguiu pagar todas as despesas. (Leia mais aqui)
Daniela Cardoso com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.