CLIQUE NO PLAY PARA OUVIR RÁDIO INDEPENDENTE FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Cortadora de sisal, adolescente baiana viraliza na internet após gravar vídeo cantando em plantio

Cortadora de sisal, uma adolescente de 17 anos que mora em uma comunidade quilombola em Campo Formoso, cidade no norte da Bahia, sonha em ser cantora profissional. Um vídeo de Ângela Naiara cantando, em meio à plantação, e viralizou na internet e já teve mais de 660 mil visualizações.  
Foi a mãe dela que resolveu, em um dia de trabalho no plantio de sisal, gravar um vídeo da filha cantando e falando sobre o desejo de ser cantora profissional. O que elas não imaginavam, era que essa gravação simples, acabaria repercutindo na internet.  

Com o sucesso na web, a jovem ganhou vários seguidores nas redes sociais e foi contratada por uma produtora musical de Aracaju (SE). Ela gravou o primeiro disco, com direito a clipe. Enquanto não pode viajar para fazer shows, a adolescente aproveita para divulgar o trabalho na internet.  

Ângela já escreveu cerca de 30 canções autorais. Ela contou que assiste vídeos de artistas famosos pelo celular e chega a se imaginar no palco como eles.  

"Eu imagino assim, fazer um show em um lugar que todo mundo já me conhece, sabe meu repertório e, na hora que eu começar a cantar, todo mundo começa a cantar comigo", disse Ângela.

Sisal como sustento
Além de sonhar juntas, mãe e filha também enfrentam um dura realidade de vida. Todo dia, bem cedo, Ângela se prepara para trabalhar no campo com a mãe. É uma caminhada de 6 km a pé, da casa delas, até chegar na roça onde as duas trabalham cortando sisal.  

"Desde que ela tem 4 anos, ela já cantava as músicas do Luan Santana. Eu só tenho a agradecer a Deus, foi um presente", contou Josenilde dos Santos, mãe da adolescente. 

A área de plantio, que fica em Lage dos Negros, distrito de Campo Formoso, é uma comunidade quilombola, onde o trabalho com sisal é a fonte de sustento de muitas famílias.   

"É um trabalho sofrido, onde você anda, você vai recebendo furada dos espinhos. Eu mesmo, só ganho R$ 9 na semana, minha mãe ganha R$ 30. A gente já passou fome, então, para não passar tanta fome, a gente veio para cá", contou a adolescente.  

"Você que tem um sonho, nunca desista dele. Tenha muita fé porque, enquanto você respira, enquanto você acorda, é um sinal de esperança para você realizar seus sonhos. Não se desespere porque tudo tem seu tempo e sua hora", completou Ângela.  

Fonte: G1

Um comentário:

JOSAFÁ RAMOS disse...

Muito comovente essa narrativa...
Elas poderiam permanecer no anonimato sofrido, caso não tivesse a atitude inicial de fazer o vídeo e postar.

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.