CLIQUE NO PLAY PARA OUVIR RÁDIO INDEPENDENTE FM 104.9

TRANSLATE TO YOUR FAVORITE LANGUAGE - TRADUZA PARA SEU IDIOMA FAVORITO:

terça-feira, 8 de setembro de 2020

OMS orienta países populosos a começar a planejar vacinação conta Covid-19

A Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu um alerta aos governos de países muitos populosos nesta segunda-feira (7). A orientação é que já comecem a preparar o plano para concretizar o processo de vacinação contra a Covid-19. De acordo com o entidade, será uma operação sem precedentes e envolverá uma ampla estrutura.
Durante uma transmissão online, a OMS apelou para que governos e políticos sejam "honestos" com suas populações sobre a pandemia e que não vendam "soluções mágicas". "As pessoas não estão procurando unicórnios", disse Mike Ryan, diretor de operações da agência, ao ser questionado sobre o comportamento do presidente Jair Bolsonaro de promover aglomerações, promover a cloroquina e minimizar a doença.

Soumya Swaminathan, diretora-científica da OMS, destacou como a operação de vacinação não será como o que já existe pelo mundo. "Não estamos em uma campanha com crianças, mas adultos e grupos vulneráveis", disse. "Será um desafio", alertou. 

De acordo com ela, governos já precisam iniciar seus planejamentos sobre como os profissionais de saúde serão treinados, se existe estrutura, seringas e dados sobre a população. 

Além disso, a OMS alerta para a necessidade de que governos considerem como realizar a distribuição das vacinas para que os produtos cheguem de "maneira correta e ética" às pessoas que mais precisam. O alerta sobre a dimensão do projeto de vacinação ocorre num momento em que governos vêm tentando passar mensagens de que o processo de imunização estaria próximo, algo que a OMS nega. 

Para a entidade, campanhas de grande escala apenas ocorrerão em meados de 2021. No caso do Brasil, uma adesão do país à aliança mundial de vacinas poderá custar mais de R$ 4,4 bilhões para que o governo garante a vacina para 20% da população. 

Até o dia 18 de setembro, um contrato terá de ser fechado entre a OMS e o Brasil e, em outubro, o pagamento da primeira parcela de 15% do valor deve ser realizada. As informações são do UOL. 

Do Bahia Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ICHU NOTÍCIAS.

Neste espaço é proibido comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. Administradores do ICHU NOTÍCIAS pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.